o que e a teoria do macaco infinito - um ensaio sobre os simios

nós sabemos que os símios vivem entre as plantas e folhas do planalto central, se alimentam de casadas e procuram silício durante o inverno. estocando suas castidades durante as estações mais calorosas trocam tiros na mata em silêncio; nada os impede de usar silenciadores. não os vemos durante a primavera, pois estão escondidos em suas tocas e troncos, o ditado já diz: cada macaco no seu galho. tal dito popular comunica o aspecto individualista da espécie, o que os torna materialmente intangíveis. quando em contato com seres da espécie humana, absorvem grandes quantidades de energia cinética gravitacional e tecnológica, e esses os obedecem, presenteando-lhes com máquinas gigatrônicas de digitação impressa e nada os para. usufruindo desses artifícios, os indivíduos de cérebro mais intelectualmente desenvolvidos escrevem extensas redações de milhões de páginas e termos humanamente inconcebíveis que também incluem as línguas conhecidas por nós. os símios, portanto, tendo se tornado mais desenvolvidos que qualquer outra espécie vista no planeta, obtiveram a capacidade intelectual de redigir os grandes clássicos da humanidade, porém não o fazem, já que não é de eficiência reescrever textos já prontos.